Mídia

reportagem Revista Muito - Jornal ATardeA história do Homem Colosso
Revista Muito – Jornal ATarde – 26/09/2016

Como quase toda criança, o designer Lei Almeida, 40, também teve um amigo imaginário. Ele só não pensava, no alto de seus 4 anos de idade, que o Homem Colosso que alegrava a sua infância um dia assumiria uma forma física real, tridimensional. Foi assim, na cidade de Itatim, no interior da Bahia, que o famoso Robozão, maior frequentador de festas do Brasil e America Latina, nasceu. Tudo começou com o seu interesse pelos super-herois da Marvel. “Eu era um leitor de revistas em quadrinhos, tudo o que aparecia eu lia”. Até que decidiu contar as próprias histórias e vender na freirinha da cidade. Foi um sucesso. Logo, as HQs se tornaram conhecidas na cidade, até chegarem a Folha de S. Paulo. “Publicaram um quadrinhos no jornal e me enviaram uma carta incentivando o meu trabalho”. E, assim, o Robozão foi tomando forma.
Formado em Desenho Industrial pela UFBa, Lei começou a perceber que os eventos baianos estavam caindo na mesmice. “Foi aí que eu me lembrei do miu amigo de infância, o Homem Colosso”. Depois de cinco anos de pesquisas e com a ajuda de mãos hábeis na mecânica, nasceu o Robozão.
Ele foi a público pela primeira vez no Carnaval de Salvador e não parou mais. Além de ter sido personagem em programas de TV, o robô de 2,6 metros de altura pode ser contratado para aparecer em qualquer tipo de festa, desde shows a eventos formais de empresas privadas. Ainda este ano, o Roboão vai ganhar uma série televisiva, em que será protagonista. Por enquanto, isso é tudo que Lei pode contar. “Quem diria que aquela imaginação de criança iria me trazer até aqui?”.